Desvendamos a suplementação alimentar e seus mitos

E ai galera!

Hoje o assunto do 1,2,3 corre! será à suplementação alimentar. Batemos um papo com a nutricionista, Elaine Silva Pereira, que é a responsável por sanar as dúvidas de clientes na loja de produtos naturais, Internutri, na Vila Mariana. Questionamos alguns mitos sobre a suplementação e, algumas dúvidas para quem está pensando em começar uma reeducação alimentar.

Normalmente os suplementos alimentares, entram em cena quando, nós, meros mortais, buscamos resultados rápidos para uma mudança estética em nosso corpo. Perder peso para algumas mulheres ou, ganhar massa muscular para os homens, afinal, o #projetoverão está chegando.

Um dos grandes erros que, algumas pessoas comentem, sobre este tema é que, utilizando um suplemento alimentar, milagres podem ocorrer para melhorar a estética do corpo com rapidez. Porem, toda essa pressa, para conquistar uma barriguinha sarada, pode virar um pesadelo, caso mal administrados, os suplementos alimentares, podem causar grandes danos a saúde.

Com muitas promessas tentadoras, os suplementos são vendidos livremente, em lojas especializadas ou farmácias, sem receitas médicas, “eu já encontrei whey protein à venda, até em conveniência de posto de combustível”. O correto para começar uma suplementação alimentar é, procurar um médico ou, um nutricionista, para tirar suas dúvidas e, dar início a um processo alimentar com foco em resultados.

A suplementação não substitui uma alimentação, e sim, complementa com nutrientes como: vitaminas, fibras, minerais, etc sua dieta.

Confira nossa conversa sobre suplementação alimentar com a nutricionista, Elaine Silva Pereira:

Elaine Silva Pereira: 

CRN: 29539  – olanutricionista@internutri.com

Internutri produtos naturais : Rua Borges Lagoa, 1032, Vila Clementino 

Pauê: primeiro e único surfista bi-amputado do mundo

ESPORTES - PAUÊ LIVRO - O surfista e triatleta profissional biamputado Paulo Eduardo Chieffi,26 conhecido como Pauê, escreve o livro de sua vida após o acidente com um trem em 2000, que ficou biamputado.

Paulo Eduardo Agaard, mais conhecido como Pauê, mostra, a cada dia, como o esporte é uma das melhores maneiras de recuperação.
Surfista desde os 9 anos, teve grande parte de sua adolescência dedicada ao esporte mas, aos 18 anos, sofreu um acidente que mudou sua vida! No dia 8 de junho de 2000 ele foi atropelado por um trem ao atravessar uma linha férrea desativada em São Vicente, Litoral Paulista.

Não foi fácil se recuperar, isso o colocou numa situação de ter que enfrentar as duras barreiras da vida e superar esses limites. A partir do encorajamento dos médicos e da família ele descobriu que poderia virar o jogo, e afirma “Eu vi de uma outra forma o acidente. Não pelo fato de “perdi as pernas” mas sim: estou vivo!”

Assim, Pauê não desistiu de praticar esportes. Ele encontrou na musculação e natação um caminho para dar a volta por cima e em menos de três meses, com fisioterapia, próteses, determinação e persistência Pauê não só voltou a andar como também a surfar. Ele conquistou o título de primeiro e único surfista bi-amputado do mundo!

Confiante na capacidade de superação investiu no triathlon. Ele foi se adaptando as competições e, em 2002, em Cancún, no México, conquistou o título mundial de Triathlon; já em 2003 foi bronze no Panamericano; daí em diante conquistou muitos outros títulos. “Eu me lembro de uma travessia aquática que consegui fazer uma distância de quase 8 quilômetros nadando. Um distância que eu não imaginava fazer com as duas pernas e realizei sem as duas. Eu vi que o impossível não existe!” recorda-se com alegria.

Atualmente Pauê compete, treina, palestra formou-se em fisioterapeuta e a sua história de superação tem levado inúmeras empresas a contratarem seu trabalho.

Quando muitos desistiriam Pauê mostrou a força que o esporte tem em sua vida e seguiu em frente.

“A vida o esporte estimula as pessoas e prova a cada dia que deficiência não é sinônimo de ineficiência! e superação significa ultrapassar limites! Eu sei que todos somos capazes, não podemos esperar que o milagre aconteça, temos que fazer contecer.” conclui o atleta.

Para quem quiser conhecer melhor o trabalho do Pauê entra lá no site: htto://www.paue.com.br

No vídeo abaixo conheça um pouquinho mais sobre Pauê e saiba o que a palavra superação significa para o atleta!

Pedalar pode ser uma alternativa em São Paulo

timthumb

Para evitar os extensos engarrafamentos e a superlotação dos transportes públicos, alguns moradores de São Paulo optam por uma outra forma de se locomover: pedalando. Assim, essas pessoas economizam tempo, dinheiro e ainda praticam uma atividade física.

Há três anos, o assessor de imprensa Paulo Henrique Alves anda de bicicleta com frequência nas ruas e avenidas da capital paulista. E há um ano, de segunda a sexta, ele pega sua bike, coloca as luvas, o capacete e os óculos e vai para o trabalho pedalando. O trajeto que ele faria em 40 minutos de carro, ele faz em 15.

Mas essa não é uma prática recente na vida dele. Na antiga empresa em que ele atuava, já deixava o carro parado em casa. Ele fazia 25 minutos de caminhada até o trabalho.

Assim como o assessor, o entregador Tarciso Vieira Gomes também utiliza bastante a bicicleta, mas nas entregas diárias de revistas durante seu trabalho. Faça sol ou faça chuva, Tarciso e mais 20 companheiros pedalam, de segunda a sábado, mais de 12 km por dia nos bairros de São Paulo. Ele conta que nunca sofreu um acidente, mas já teve colegas que morreram no trânsito enquanto trabalhavam.

O ciclista tem que tomar cuidado por onde anda, porque podem aparecer alguns empecilhos no meio do caminho. Carros, motos, ônibus, pedestres, sinais de trânsito, buracos, morros, boca de lobo e desníveis nos asfaltos podem causar um acidente e machucar. “Todo dia eu sofro uma fechada de  um motorista ou motoqueiro. Bicicleta não é um transporte tão viável em São Paulo, mas uma alternativa para os transtornos de uma cidade grande”, afirma Paulo Henrique.

São Paulo ainda não é uma cidade ideal para os ciclistas, como Copenhague que 50% da população se locomove por meio de bicicletas. Mas aos poucos as bikes conquistam seu espaço na sociedade brasileira com a construção de novas ciclovias e a implantação de leis a favor do ciclista.

Aqueles que têm interesse de pedalar em SP, devem ficar atentos. “Tenha uma bicicleta adequada ao seu estágio. Não adianta comprar uma bicileta barata em qualquer loja. Escute dicas de amigos ciclistas. E comece pedalando nos grupos de pedal que têm na cidade porque assim você começará a entender o trânsito”, aconselha o assessor.

Paulo Henrique ainda lembra que nem todo trajeto é recomendável para andar de bicicleta. A pessoa tem que observar a segurança das faixas de utilização e a distância. Ele aponta que até 15 km vale a pena, mais do que isso, o risco e o exercício não compensa.

Slackline : uma nova forma de exercitar

Rodeo_slackline_graz

Uma nova atividade física vem ganhando cada vez mais admiradores em São Paulo: o Slackline. Para aqueles que não conhecem, é uma atividade gratuita ao ar livre que envolve equilíbrio em uma fita de nylon com cerca de 1 cm de largura, 7 m a 12 m de distância e com 30cm acima do solo presa entre duas árvores ou pedras que possibilita o praticante andar sobre ela.

O Slackline foi criado nos anos de 1980 por escaladores norte-americanos que nas horas de descanso brincavam de andar sobre uma corda. Diferentemente de outros esportes, a atividade pode ser feita em grupo ou sozinho. No Parque, na praia, na montanha  e em casa, este esporte pode ser praticado em qualquer lugar, tanto que apresenta cinco vertentes. São elas: ‘trick line’, caracterizada por saltos e acrobacias em uma fita um pouco mais larga; ‘long line’, a corda é mais comprida e fina; ‘high line’, utilizada por alpinistas com a fita pelo menos 5 metros acima do solo; ‘yogaline’, consiste em ficar na posição da ioga em cima da fita; e ‘water line’, quando é realizada em cima de piscinas e lagos.

Mas o esporte não envolve só diversão, a atividade pode trazer benefícios a saúde também. Fisioterapeutas, por exemplo, têm indicado a pratica para o fortalecimento da musculatura. Mas ela ainda serve para trabalhar a coordenação motora e a concentração, além de ajudar na queimação de calorias e a manter a forma.

Com o passar dos anos, a diversão foi ganhando espaço em outros ambientes e nacionalidades. Atualmente, a“febre” do slackline tem juntado pessoas de todas as idades e países, tanto que foi criado o Slackline World Cup que este ano aconteceu na cidade de Spokane, WA, Estados Unidos.

Na capital paulista, o Parque Ibirapuera é um bom lugar para praticar. Além de sombra e várias árvores para prender a corda, ainda apresenta um espaço especial chamado “Slack point”. A quantidade de adeptos ao esporte em Sâo Paulo é tamanha que em setembro está programado o 2° Festival de Slackline de Ilhabela, no litoral norte do estado.

Corrida só para mulheres

A corrida McDonald’s 5K acontece no dia 30 de outubro deste ano e tem como objetivo celebrar a mulher e incentivar um estilo de vida saudável. Mas além disso, é um evento de proporções únicas e inéditas: são 14 países, com um total de 15 cidades participantes:

◾Assunção
◾Buenos Aires
◾Caracas
◾Cidade do México
◾Cidade do Panamá
◾Guaiaquil
◾Lima
◾Le Diamant
◾Medelin
◾Montevidéu
◾Rio de Janeiro
◾San José
◾San Juan
◾Santiago
◾São Paulo

Em São Paulo, a prova será realizada no Centro Histórico, passando por pontos importantes como o Teatro Municipal, Praça do Patriarca, Viaduto do Chá, Praça da Sé e Avenida Ipiranga.

Todas as mulheres que participarem da corrida vão receber uma camiseta exclusiva, e aquelas que terminarem a prova serão premiadas com uma medalha.

Para mais informações acesse: http://5kmcdonalds.com/carrera

Atleta depois dos 60 anos

1m50 de altura, 54 quilos, mãe de dois filhos, boliviana de Cochabamba, dentista aposentada, jogadora de basquete e 64 anos de idade. Essa é Miriam Perez, frequentadora há 20 anos do Parque do Ibirapuera.

Dona Miriam não falta um domingo. Todo fim de semana ela coloca seu tênis de cano alto, boné, blusas e calças folgadas e vai para o Ibirapuera jogar basquete. E ela não se contenta com duas horinhas de atividade física. Geralmente, ela fica das 10h às 17h no local. Muitos atletas já a conhecem e sempre que a encontram cumprimentam-na carinhosamente como “tia”.

A paixão é tão grande pelo esporte que nem quando seu aniversário é no domingo ela deixa de jogar no parque. Seus filhos já tiveram que levar o bolo e cantar parabéns para a mãe no meio das quadras de basquete. Outro dia, ela ficou tanto tempo jogando que o Ibirapuera acabou fechando. E como não havia outra saída, ela, com a ajuda dos demais jogadores, teve que pular as grades do portão de entrada para sair do local. Foi quando torceu o tornozelo e ficou alguns dias sem poder fazer atividade física. 

Dona Míriam é uma das mais velhas jogadoras e uma das poucas mulheres que participam dos “rachas” – peladas ou jogos de ruas – no parque. Mas, segundo ela, a quantidade de mulheres nas quadras do Ibirapuera cresceu bastante nos últimos anos, apesar do número de homens ainda ser superior. Houve anos em que ela era a única do sexo feminino em quadra.

Há alguns anos, Miriam começou a perder a visão de um dos olhos. Quando foi ao médico, diagnosticaram o glaucoma, doença ocular que provoca danos no nervo óptico podendo ocasionar cegueira e que não tem cura. Aos poucos ela foi perdendo a visão nos dois olhos. Teve que se aposentar por invalidez devido à doença, mas apesar de não enxergar 100%, o basquete ainda está bem inserido na sua vida. E ela consegue se virar muito bem dentro de quadra.

Além do problema com os olhos, Miriam já machucou os dedos da mão, o tornozelo e o nariz. Neste último, ela levou uma cotovelada de um dos jogadores e acabou com o nariz membro. Ela foi ao pronto socorro onde imobilizaram o nariz e, consequentemente, teve que ficar afastada dos “rachas” por alguns meses. Porém, logo depois dos dias de recuperação, ela voltou ao parque.

Apesar de morar há muitos anos em São Paulo, a boliviana ainda tem dificuldade para entender algumas palavras em português. Mas isso não a atrapalha no esporte. Aliás, nem a ela e nem a vários outros estrangeiros – norte-americanos, francese, coreanos e japoneses – que passam diariamente pelo parque. Dentro de quadra todos se entendem por meio do basquete e dos gestos.

Ela não pára um minuto dentro de quadra. Pula, grita, briga, chama a atenção dos parceiros de time, marca, dribla, arremessa e comemora em todos os jogos, sendo de meia quadra ou quadra inteira. Correndo de um lado para o outro, Dona Miriam tem um físico que causa inveja a muitos jovens.

Nem a idade, as fraturas no dedo e no tornozelo e nem o glaucoma a impedem de fazer o que mais gosta: jogar basquete aos domingos. Além disso, ela não se intimida com o tamanho dos músculos, a habilidade, a altura e a juventude dos outros jogadores. Ela simplesmente se joga nos dribles, passes e arremessos dentro de quadra. “É a única coisa que me relaxa. Acho que todo o meu estresse eu jogo aqui em quadra”, afirma ela.

Miriam começou a jogar basquete quando jovem na Bolívia. Ela integrou alguns times e já participou de torneios regionais. Mas o pai não a apoiava muito, porque dizia ser um esporte masculino. Ele não gostava de ver a filha usando roupas folgadas e tênis desgastados devido a prática esportiva.  Mas Miriam continuou a jogar.

Quando a faculdade começou a ficar puxada e difícil, ela teve que parar de jogar basquete.  Mas sempre que tinha um tempo, voltava para as quadras. Foi assim na época de jovem e é assim até hoje. “Ainda quero jogar por mais muitos anos”.

 Mas Dona Miriam não é a única moradora da capital com mais de 60 anos a praticar esportes nos espaços públicos e privados da cidade. Uma pesquisa realizada pelo programa Agita São Paulo mostrou que mais de 50% das mulheres entre 30 a 69 anos fazem atividades físicas no Brasil.

E já existem projetos para atividades físicas voltados para a terceira idade. Mas esse é assunto para um próximo post! 

Comer bem evita doenças e influencia o emocional

Confira dicas para conciliar uma boa alimentação com a prática de exercícios

alimento-saudavel

Você sabia que a combinação de uma alimentação saudável com a prática frequente de atividades físicas pode evitar 19% dos casos de câncer no Brasil?

É isso mesmo. Essa foi uma pesquisa divulgada pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) em parceria com o Fundo Mundial de Pesquisa contra o Câncer (WCRF).

Além de prevenir diversas doenças, ter uma boa alimentação e praticar exercícios forma uma dupla imbatível contra as gordurinhas. Por exemplo: as calorias a mais que você come são gastas durante os exercícios e, por outro lado, a energia e os nutrientes que são utilizados nas atividades físicas são repostos com a alimentação. Ou seja, um compensa o outro, encontrando o balanço energético ideal para uma vida saudável.

Confira abaixo a entrevista na íntegra com o médico e mestre em Nutrição pela Unifesp, Eric Slywitch.

1 – Qual a importância em ter uma alimentação saudável? – principalmente quando conciliada com a correria do dia a dia em que muitos afirmam não ter tempo para comer direito.

A alimentação saudável, em termos de qualidade, mas principalmente quantidade, é importante para tolerar melhor a adversidade do dia a dia.

Comendo a cada 3 horas, por exemplo, controlamos melhor um hormônio chamado cortisol (o hormônio do estresse), que quando elevado afeta negativamente o humor, promove perda de massa muscular, ganho de gordura abdominal e dificulta o controle da glicemia (açúcar no sangue), levando à fadiga.

Como deve ser a alimentação de uma pessoa que trabalha, estuda e pratica exercícios regularmente?

A quantidade deve ser sempre ajustada de acordo com a constituição física e nível de atividade física praticada.

Mas é importante que a alimentação contemple sempre uma boa quantidade de alimentos integrais, leguminosas (feijões), frutas e verduras. Devemos minimizar ou abolir o consumo de cereais refinados (pão, arroz e massa branca), açúcar, laticínios e carnes.

Os alimentos de origem vegetal e integrais têm uma excelente contribuição para o combate contra os radicais livres (aqueles elementos que causam doenças e envelhecimentos) e potencial muito bom para a prevenção de doenaçs crônicas e para a manutenção do peso adequado.

Para você o que é ter uma vida saudável?

Uma vida saudável significa conseguir associar seu estilo de vida com a harmonia que sua mente e corpo necessitam, frente às necessidades diárias.

Para conseguir ter uma vida saudável, é importante dormir a quantidade de horas que o corpo necessita, comer com regularidade e alimentos de boa qualidade, estar em contato com suas emoções de tal forma que elas possam ser sempre vistas e equilibradas frente à suas necessidades, praticar exercícios compatíveis com a capacidade do seu corpo e acima de tudo, nutrir uma boa relação de afeto com as pessoas que nos rodeiam.

 

Treino de duathlon na praia

José após o treino de duathlon

E ai galara!

Hoje o repórter que aqui escreve foi o personagem desta matéria.

Estive durante o último final de semana na praia da Riviera de São Lourenço, município de Bertioga, localizada no litoral norte do estado.

O intuito da viagem era recarregar minhas energias para uma semana decisiva de trabalhos na capital e, para isso, peguei firme nos meus treinos . Claro, com bastante sombra e água fresca após os treinamentos.

Ua das coisas mais legais e motivadoras de um treino sério é: estipular metas, e no  duathlon não é diferente. Meu foco foi correr 10km na areia da praia e pedalar 20km dentro do perímetro urbano no condomínio da Riviera.

Confira nosso vídeo com algumas dicas de preparação para um treino de duathlon na praia.

Boa corrida e força no pedal!

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES FÍSICAS

Foto 01 Blog
      O nosso blog “1, 2, 3 corre!” tem o objetivo de informar e estimular pessoas de todas as idades a praticar exercícios e dessa forma descobrir todos os benefícios que essas atividades proporcionam.
      A atividade física nos tras inúmeros benefícios que podem ser físicos, mentais e sociais. Nos ajuda também a prevenir, tratar e reabilitar algumas lesões, as vezes até evitando uma cirurgia.
      A prática de exercícios físicos não deve ser uma obrigação mas sim um prazer! Portanto, cada um deve encontrar a atividade que lhe seja mais agradável e que combine mais com o seu perfil. Correr, saltar, nadar, jogar, dançar, esquiar ou mesmo caminhar, o mais importante é que seja praticada regularmente e que seja bem orientada.
      A rotina da vida moderna exige do corpo humano a sobrecarga de algumas estruturas e praticamente o desuso de outras tantas, levando a um desequilíbrio funcional e ao aparecimento de lesões. A prática de exercícios somada a uma alimentação balanceada e ao descanso adequado, te dará um equilíbrio que tornará sua vida muito mais leve e saudável.
      Dar ao nosso corpo mais oxigênio, maior flexibilidade, mais força e maior resistência faz com que ele funcione melhor e por mais tempo, economizando energia e poupando um desgaste natural das “peças” que, apesar dos avanços da medicina, não têm reposição.

Vamos correr !

Chega de correr só de casa para o trabalho e do trabalho para casa. Agosto reserva muito exercício para os atletas paulistas. Estão programadas 9 corridas em São Paulo este mês. É só pegar o tênis e correr.

Image

Veja, abaixo, a relação dos dias e das distâncias de cada corrida: